segunda-feira, 7 de junho de 2010

As palavras não ditas

Pisco de novo. É realmente Demetria Devonne Lovato - a minha Demi -, ali, bem ali na minha frente. Eu não podia acreditar. Eu não conseguia acreditar. As lágrimas rolavam pela minha face e minha boca continuava entreaberta, mas o som não saia. Meu coração fazia Tum-tum em um estranho ritmo, era como se dissesse Demi-Lovato, Demi-Lovato.. Enquanto ela, minha diva, continuava ali na minha frente, sorrindo – aquele sorriso que só ela consegue dar, aquele que sempre me dava esperança. Vamos lá, Juliana, fale. Apenas diga tudo que sempre quis dizer a ela. Aproveite a chance, dê um abraço nela, um abraço bem forte, diga o quanto a ama. Vamos. Faça alguma coisa, eu penso. Mas meus músculos simplesmente não me obedecem, eles simplesmente não conseguem sair do lugar. Eu penso em todos que disseram que aquilo seria impossível. Quer dizer, ver a Demi Lovato bem na minha frente. Todos que me disseram para desistir, todos que me zoaram por amar tanto uma garota. Todos que nunca entenderam meu amor incondicional por ela. Finalmente meus músculos me escutam, dou um passo e murmuro um “Demi...” sufocado, com os olhos molhados das lágrimas que ainda insistem em cair. Demi sorri mais ainda e pega a câmera da minha mão, tira uma foto e eu me ouço dizendo um “Thank you” baixinho. Depois sou simplesmente empurrada e outros fãs, gritando, assumem meu lugar. Fico lá, olhando para a foto, sem acreditar que tinha acabado. O momento, quero dizer. Tinha acabado e eu não tinha falado nada do que queria. Não tinha falado nada do que tinha planejado, do quanto a amava, do quanto as músicas dela me faziam sorrir, me faziam chorar e me faziam me sentir bem na maioria das vezes. Lágrimas silenciosas continuavam a escorrer no meu rosto, mas dessa vez acompanhadas de um sorriso – mesmo que minúsculo – de satisfação por ter visto a Demi, ter tocado nela. Tudo bem, eu não tinha cantado com ela, abraçado ela, nem nada do que tinha pretendido. Mas eu tinha visto minha diva, na minha frente. E ela tirou uma foto comigo. Fui andando pro carro, onde minha mãe estava me esperando. Pus os fones brancos do iPod e continuei escutando Catch Me, minha música preferida da Demetria - aquela que, entre todas, sempre me fazia me sentir bem e ver que, no fundo, minha vida não era assim tão ruim quanto parecia. Bem, talvez no próximo show, na próxima seção de autógrafos, eu falasse tudo que queria à Demi.

4 comentários:

Maria Carolina disse...

aaa, que lindinho. Acho que se encontrasse a Tay ou o Ian também (amores maiores s2) não ia conseguir nem piscar os olhos. ._.

M. disse...

Que fofo seu texto. Adorei a casa nova. Nossa tempos que não vinha aqui.
bjo

Mylena Furtado disse...

Tá lindo mesmo, Juh *o*

Pamela Dal'Alva. disse...

ha acabei de ver o filme de novo. dela. rsrs com a Selena.
achei muito criativo o nome. rsrs
eai aceita parceria??
precisa de um poquinho de divulgação ne?? rs
kisu